terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Algo de Novo

Passei o ano todo escrevendo pra vocês, agora que é o último post do ano estou completamente sem ideia, acho que como diz uma música da banda Capital Inicial e nesse dia, se o mundo acabar, não vou ligar pra aquilo que eu não fiz. Como já falei num post desejo tudo de bom pra todos nós. Espero que esse ano novo tenha algo de novo. Ah, tem uma música que eu acho legal pra esse dia - ou para esse ano:

 


Feliz Ano Novo!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido (mal vivido ou talvez sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegramas?). Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto da esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver. Para ganhar um ano-novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Comentando...



Feche os olhos. Agora pode abrir. 
Assim mesmo num picas de olhos, o ano passou tão rápido que eu nem vi - mentira eu vi sim.
Sabe, nesse ano consolidei as antigas amizade e fiz novas. Acho que dos acontecimentos do ano todo o que me deixou mais triste foi a morte do Chorão.
Tive também muita diversão, aconteceu coisas que eu pensei que nunca aconteceria comigo, é bobo mas vou contar: Não imaginei que um dia teria tantos amigos para fazer uma roda de violão e cantar junto!
A frase que mais disse esse ano foi: Nossa! como eu mudei. Acho que todos ao meu redor viram a diferença, e o grande culpado por essas mudanças é o blog e vocês que me acompanham.
Eu não tenho muito que falar sobre o ano. Meu gosto musical teve algumas variações, mas  os mais ouvidos continuam sendo Cássia Eller e Bruno Mars. Ah, e a música que mais ouvi durante o ano foi : Dias de Luta, Dias de Glória.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Posts mais visualizados do Ano

O ano passado não fiz esse post porque o meu mês de dezembro foi muito ocupado, mas dessa vez vou mostrar quais foram os posts mais clicados desse ano, pra quem não viu agora é a oportunidade e, pra quem já viu bora rever?!

1 - Minha Nail Art: Filha Única
    
Foi um dos posts mais visualizados mesmo, foi quando ensinei a maneira que eu faço minha francesinha.

Quando uma amiga minha do colégio veio em casa, conversamos sobre música e estilo, como moramos em uma cidade do interior resolvi fazer um post com roupas para meninas de cidades pequenas.

Na época que estava com muita insonia, escutava muita a música Sleep do Allen Stone. Música linda!

Quando a primavera chegou, separei os modelos de sapatos que mais amo, com estampas florais.

A série de posts que mais amei escrever, conta a estória de amor (?) entre Lucy e Ian. Adorei! (não sou convencida, só acho que a estória foi muito bem escrita!).

A nail art que mais sofri pra fazer, foi quando o Chorão morreu, fiz o post chorando. Vocês podem perceber que o resultado não saiu tão bom pelo fato de eu estar muito abalada.

As frases da diva foram bastante visualizadas por aqui.










terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Pra mim e pra vocês

Queria fazer um post lindo falando pra vocês como essa data é importante, e tudo que vocês vão ver em outros blogs. Resolvi deixar imagens de tudo que quero pra mim e pra vocês nessa época, e na vida:







Deseje o bem que a felicidade vem (não apenas um clichê, mas uma verdade)!




 

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Medo do Diferente

As vezes me dá um medo, sabe, as coisas que mais podem me fazer feliz são as que mais me apavoram. Um amigo me disse uma vez que o medo é a pior coisa que tem, e que nos priva de viver coisas maravilhosas. Pode até ser verdade mas quem nunca sentiu medo, seja o mais bobo ou o mais decisivo, né?
Nem me lembro se já falei sobre isso aqui no blog, das coisas que tenho medo mudança é com certeza a primeira da lista, sério, e essa época de fim de ano onde todos estão com preparativos, promessas e pedidos (quanto "p"), para o próximo ano eu sinto medo, medo que os meus preparativos não deem certo, que não consiga realizar minhas promessas, e que os meus desejos sejam apenas isso, desejos. Pode parecer bobagem mas é verdade, se hoje fosse dia 31 pediria para parar de sentir tanto medo das coisas que me fazem bem, pois eu já falei inúmeras vezes que mudanças de uma maneira ou de outra nos fazem bem.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Looks Para As Festas De Fim de Ano

Vou roubar e fazer dois posts em um, o dos looks do Natal e do Ano Novo, gostaria de falar alguma coisa bem nostálgica que vivi durante esse ano, mas vou deixar isso para o post de retrospectiva e focar nos looks mais lindos que combinam com as comemorações de final de ano.







Lindos, maravilhosos! (só acho!)

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Um Quase Amor, parte 1

Passei em frente da casa da Malu com pressa, afinal não queria que ela vesse o pacote que estava na minha mão. Essa histórias de amigo oculto/secreto, sempre me deixaram mal, pode parecer fútil mas sempre ganhei presentes bem chatos. Os presentes que comprei para Malu eram um livro de John Green, e uma bolsa com taxas.

Estava com os meus cabelos ruivos presos num coque elegante e usava um vestido longo, verde com detalhes em dourado. Entrei pela porta da casa do Carlos onde iríamos comemorar o nosso 24 de dezembro de 2015. Quem começou a falar sobre seu amigo oculto foi o Binho.

A noite foi agradável, quem me tirou na brincadeira foi a Leila, ela me deu um colar com pingente de flor e, uma camiseta com estampa de sorvete.
- Preciso falar com você - Fernando falou se dirigindo para a varanda.
- Fala. - Foi tudo que eu consegui dizer com o coração saindo pela boca.
- Tenho um presente pra você.
Não ouvia nada que ele dizia, estava concentrada demais em não parecer desesperada. Ele era o cara que fazia os meus dias na redação valerem a pena.
- Você aceita?

Continua...

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

A Volta Do Meu Coração

- Até amanhã, Carol!

Dei dois beijos na bochecha da Paloma e segui para um banco próximo à saída da universidade. Assim que cheguei, apoiei os cadernos e livros em cima dele e organizei todos na bolsa. Preferia o peso nas costas do que aquele volume nos braços.

Assim que arrumei meu material, levantei e segui para a saída. Tirei a carteirinha do bolso e, antes de passar pela catraca, olhei para os lados só por mania boba. Me arrependi na mesma hora de ter feito isso.

Lá estava ele. Julio. Estava rindo com uma garota que nunca vi na vida. Caramba! Eu não tinha jurado a mim mesma que não sentia nada por ele? Por que aquilo mexia tanto comigo? 

Enquanto eu pensava, a garota ria de alguma coisa que ele falou. 

Com muito sacrifício - e muita vontade de ir lá interromper o papo com qualquer bobeira sobre as aulas -, saí da universidade. Apressei o passo na esperança de que, mesmo que o Julio saísse ao mesmo tempo, eu ainda conseguisse alguma vantagem.

Segui em frente apenas me concentrando em colocar um pé na frente do outro. Depois de alguns passos, percebi que meu tênis estava desamarrado. Droga! 

Abaixei e me encostei no meio fio para amarrar o cadarço. Mentalmente, agradeci por ter guardado tudo na bolsa. Seria um trabalho tão grande se eu ainda estivesse com todos aqueles livros na mão...

- Carol? - Perguntou uma voz atrás de mim.

Não! Não! Mil vezes não! Não aquela voz. Não aquele rosto que, se eu virasse, estaria tão próximo. Não pode ser!

Tentei forçar o melhor sorriso que pude. Falhei. Não encontrando outra saída, falei sem nem olhar no rosto dele. 

- Oi, Julio. - Respondi, sem entusiasmo.

Sem mais cadarço para prender minha atenção, me vi obrigada a levantar. Merda! Eu não queria ir embora com ele. Não depois daquilo e não depois dos meus sentimentos se fragilizarem daquele jeito. 

Queria tanto ter uma desculpa para virar naquela próxima rua...

Seguimos andando em silêncio. Pelo menos, eu estava. O Julio continuava com umas conversas que, sinceramente, não lembro nada. Era uma mistura de provas com trabalhos e um resumo sem muitos detalhes sobre as férias. 

A Carol de alguns meses atrás iria se importar com cada detalhe. Isso era bom, né? Pelo menos, minhas defesas continuavam intactas. Em parte.

Quando dei por mim, Julio estava segurando minha mão como se fosse a coisa mais natural possível. Estávamos andando assim, juntos, como um casal. Será que ele não se tocava no quanto isso era ridículo? 

- Acho que os calouros são legais. Conversei com alguns hoje e gostei de algumas ideias. Poderíamos fazer uma festa de confraternização, o que acha?

- Por quê? Quer conhecer melhor as suas amiguinhas?- Respondi, soltando minha mão da dele. Com sua pele longe da minha, ficou tão mais fácil pensar!

- Não, Carol... - Respondeu, confuso. Ele olhou para nossas mãos separadas e continuou com o olhar baixo.

- Ok, Julio. - Rendi-me. - Desculpa, falei besteira. Só estou nervosa com umas coisas... - olhei seu rosto e, automaticamente, sem nem pensar, peguei sua mão. 

Ele sorriu e continuamos andando por aquela rua que guardava tantas lembranças. Eu não conseguia pensar em nada para completar o silêncio. Só em uma coisa...

- Julio? - Chamei-o. - Você não acha que isso - levantei nossas mãos juntas - dá a impressão errada do que realmente somos? - Olhei seu rosto a procura de alguma mágoa. Só encontrei constrangimento.

Ele não respondeu e minha curiosidade não iria se contentar com aquilo. Insisti.

- Por que você insiste em andar comigo assim? - Desta vez, não precisei levantar nossas mãos para que ele entendesse sobre o que eu estava falando. 

Ele demorou alguns segundos para responder. Finalmente, olhou para mim e disse:

- Isso é bom. - Sorriu. - E você é melhor nisso do que imagina.

Opa. Minha vez de ficar constrangida.

Prosseguimos nosso caminho. Uma parte de mim estava louca para chegar em frente ao prédio dele (onde, normalmente, nos separávamos). Outra parte queria que o prédio nunca chegasse. Era tão bom ficar assim, tão próxima dele...

Depois de alguns minutos de silêncio e uns poucos assuntos, chegamos em frente ao edifício marrom onde Julio morava. Ele se demorou por alguns segundos e continuou com nossas mãos unidas.

Ele estava quieto, ansioso. Não sei o que me deixou assim também. Estávamos tão próximos. Tão... Tão ali, a só um inclinar de rostos.

Quando dei por mim, meus lábios estavam encostando nos dele. Julio soltou nossas mãos e me abraçou forte, unindo nossos lábios mais umas duas ou três vezes.

Antes de me dizer um "até amanhã", Julio deu o sorriso mais lindo e sincero que já vi. Entrei no táxi que me levaria para casa ainda pensando no que acabara de acontecer. Minha mente continuava confusa, apesar das perguntas serem diferentes agora. E meu coração... Bom, esse aí não tinha mais jeito. Era como se ele estivesse longe, voltando só agora. Era como se, novamente, eu pudesse senti-lo dentro de mim, batendo numa intensidade louca.

Intensidade essa que pensei que nunca mais sentiria de novo.

Sobre a autora: Quem escreveu esse texto lindo foi a Juliana Duarte dona do Julie de Batom, ela tem dezenove anos e faz faculdade de jornalismo, muito talentosa, né gente?

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

A Voz de Corinne Bailey Rae

Vocês sabem que eu adoro mostrar pra vocês musicas de cantores com vozes suaves e letras fofas, então depois de alguns dias sumida daqui do blog resolvi trazer a voz linda da Corinne Bailey Rae na música  Put Your Records On, aí vai:
O que acharam?

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Roube o Look: Ashley Tisdale

Nossa eterna Sharpay Evans da série de filmes High School Music, é atriz (óbvio), cantora e compositora, começou a atuar em sua comunidade judia, e hoje canta e atua lindamente para todo o mundo. Ela é superestilosa, seus looks são uma boa referência para quem quer arrasar no verão:




Os looks que ela usa em eventos formais são simples mas elegantes.

Para finalizar uma música dessa garota talentosa:





quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Complicamos as Coisas Simples

Era inevitável mais chegou ao fim - soa clichê não soa - com tantas coisas e pessoas passando passando por perto, seria estranho se eu ou você não nos interessássemos  por uma dessas coisas e pessoas. Sabe, não fiquei chateada quando você disse que não dava mais, porque acho que realmente não dava mais. Fico pensando porquê os casais são tão complicados, será que eles não podem continuar sendo amigos como a gente?
As pessoas acham que somos loucos por saímos juntos, elas são mais loucas, como nós não podemos sair mais juntos? não sei se alguém inventou uma lei que assim que os casais terminam não podem ser mais amigos mas eu acho tudo isso uma grande besteira.
Essas palavras aleatórias que formam um pequeno texto serve para mostrar como estabelecemos regras invisíveis que cumprimos a vida toda sem ter necessidade alguma.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

I Love You More Today Than Yesterday - Bruno Mars

O cara é lindo e tem uma voz incrível, estou falando de Bruno Mars, é claro!
Essa música fofinha, que já ouvi em outras vozes, mas me conquistou mesmo foi na voz do Bruno Mars, ainda mais nessa versão divertida aí vai, I Love You More Today Than Yesterday:

Perfeição! 

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Turma de 2013

Agora é oficial, as aulas acabaram (o ano que vem é o último ano!), esse post não é de retrospectiva ainda, mas eu me sinto muito grata por ter feito amizade com tanta gente legal. Abaixo fotos da minha turma de 2013:




Cuidando para que ninguém atacasse a Dehh hahaha!

Fotos roubadas da Monique Ferreira  


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Meus Livros: 9 Coisas E-mail que Eu Odeio em Você

É um livro maravilhoso, naquele estilo vira-vira, onde mostra o que acontece com um casal de namorados (de 11 anos) depois do primeiro beijo. O nome já diz tudo, em um dos lados é o namorado que manda 9 e-mails dizendo o que odeia na namorada, do outro lado é a namorada dizendo o que mais odeia no namorado, pra deixar bem claro não são respostas, são casais diferentes em cada lado.
É bastante engraçado e relata de uma forma fiel os pensamentos das garotas e acho que os dos garotos também. Uma coisa que eu queria chamar a atenção nesse livro são para as ilustrações, são incríveis e relatam de forma divertida o que diz cada texto.

Sobre a autora: Nunca tinha lido nenhum livro da Márcia Kupstas, adorei mesmo. Ela nasceu em São Paulo no dia 13 de setembro de 1957. Seu livro de estreia para o público juvenil foi Crescer é Perigoso, em 1986.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Inspirações do LookBook

Oi gente! hoje eu vim trazer pra vocês mais uma vez os looks que tanto me inspiram lá do LookBook, olha, como a maioria das estilosas que acompanho por lá não são brasileiras, algumas das composições têm roupas de frio.





O que vocês acharam dos looks?