quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Carta: Sem Saber

Não sei mais o que quero pra mim. Sabe, estava me sentindo feliz ~~ ou fingindo.
No começo foram só lágrimas, não estava mais me aguentando, minhas amigas não me suportavam, foi mais de um ano assim.
Agora estava me sentindo leve, mesmo tão ocupada ~~ estava sem tempo pra pensar em... ~~ Conheci outras pessoas, fiz amigos de verdade, mas nunca consegui tirar você da cabeça. Nunca.
Convivi um bom tempo sabendo que você existia e ignorando a sua existência, passei a dizer pra todos que: 'Amor não existe, isso foi uma coisa que as pessoas inventaram para serem presenteadas.' Uma pessoa que fala isso só pode estar muito machucada ou ser realmente fria e como chorei tanto tenho certeza que não sou fria.
Acabei de te descrever, e vi que nunca conheci alguém que chegasse ao seus pés não por que você se engrandecia ou se achava melhor, mas pela sua humildade, honestidade e por ser um cara de riso fácil e 99,9% das vezes era sincero, porque você conseguia nesse 1% ser uma pessoa irritante, irônico, autoritário e apaixonante, olha que ainda nem falei do físico, ah... Isso parece a descrição que uma garota apaixonada faria, mas é impossível lembrar de você sem sentir o coração disparar e os olhos se fixarem em um único ponto. E como nunca te esqueço, tire suas conclusões.
Ps: Quando me ver não precisa chamar minha atenção só vim e se encaixar nos meus braços.       

Nenhum comentário:

Postar um comentário