domingo, 8 de setembro de 2013

Foi Isso Que Aconteceu...

Peguei uma folha limpinha no meu caderno do ano passado, não foi para economizar folha, mas sim para ,e dar a sensação que estou reescrevendo a minha história. Você não me conhece mas é para você que vou contar tudo que aconteceu, espere um pouco, promete que não vai contar pra ninguém? (tenho dificuldade para confiar).

Sexta-feira 13 de setembro de 2013, levantei antes do despertador tocar, coloquei uma calça skinnig preta, uma blusa branca, prendi meus dreads em um coque - é, eu sou uma loira pálida com dreads, por quê?
Não queria ir para o colégio , mesmo sendo uma sexta-feira, teria duas aulas de biologia, duas de física e uma de educação física - esporte pra mim só skate.
Peguei uma pera, e dei um beijo na minha mãe, nunca fui de chegar atrasada, e agora que conheci o Fernando chego ainda mais cedo. Ele é skatista, assim como eu, nunca tinha o notado apesar de estudarmos no mesmo colégio, até dois meses, enquanto eu bebia meu suco de uva, ouvia Black Sabbath e, andava de skate, completamente desligada, acabei o atropelando, ou sendo atropelada?, começamos a ficar e, uma semana depois ele me pediu em namoro. Foi ele que me isentivo a colocar os dreads.
- Oi amor.
- Oi - ele disse meio preocupado.
- Nada amor, coisinha besta,
- Então me conta o que é.
- Ahh, tá bom, posso ser reprovado se não fazer um trabalho e entregar amanhã.
- Então faz, eu te ajudo.
- Sabe o que é, hoje à tarde tem uma competição, na rua mesmo, mas eu queria muito ir, então acho que vou ser reprovado.
Sei o que você está pensando, o trabalho escolar é bem mais importante que uma competição de skate, mas se você está pensando isso é porque você não anda de skate nem viu a carinha triste do Nando.
- Eu faço pra você.
- Não Ju, isso é coisa minha.
- Você sabe que eu vou fazer, não sabe?
- Sei - falou me beijando. - E é por isso que eu te adoro.
- Só por isso? - Fiz beicinho.
As aulas estavam me enlouquecendo e eu tinha que começar o trabalho do Nando, foi simples simulei uma cólica e fui embora nos dois últimos horários. O trabalho era longo mas como comecei a fazer mais cedo terminei logo e, resolvi deixar na casa do Nando para ele ter uma surpresa quando chegasse da rua.
Bati na porta dua vezes.
- Fala - e essa aí é a Dani, irmã do Fernando, ela me odeia porque diz que pareço uma maloqueira.
- Er... eu sei que o Nando não tá, mas você pode entregar isso pra ele?
- Entra aí cunhadinha, pode colocar lá no quarto dele, depois vem tomar um suco comigo.
Ela tava tão legal.
A porta estava fechada, antes de colocar minha mão na maçaneta parei, sempre gostei daquele poster do Chorão da banda Charlie Brown Jr. andando de skate, abri a porta e meu coração congelou, acho que parou por alguns segundos, me senti muito tonta, levantei a cabeça uma outra vez e, lá estava o Nando aos beijos com uma loira que até se parecia um pouco comigo. Ele estava de costas pra mim - com aquela linda tatuagem de asas - não me viu, mas a garota me viu, deu meio que um sorriso antes de se afastar dele, ele percebeu e se virou.
- Ju... já terminou o trabalho?
- É - falei rasgando algumas folhas. - Ma acho que você pode encontrar outra otária pra fazer isso pra você.
- Calma Ju, assim vou ser reprovado - disse vestindo a camisa. Você vai me entender.
- Vou? 
- Você é ótima, manda bem em tudo que faz, mas cada vez você tá mais parecida com um dos meus amigos e, não com a minha namorada, isso me faz procurar outras garotas, sabe, menos amigas.
- Outras?
Saí correndo, antes de bater a porta da casa dele escutei a Dani gritar.
- Não vai brindar comigo cunhadinha?

Agora você já sabe minha história, já têm alguns meses mas precisava contar pra alguém. 
  
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário