segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Barulhos Urbanos

Creio que eram seis horas da manhã. Reparei pelas frestas da cortina que o dia estava amanhecendo. O barulho era de tontear, algo de muito grave deveria ter acontecido para um helicóptero ficar parado bem em cima do meu edifício. Pior: ele parecia estar alinhado à minha janela. Aos poucos fui voltando do sono e disse a mim mesma: deve ter acontecido um assalto a banco, estão à procura de fugitivos. Mas o helicóptero, insistente, não voava para longe, parecia resoluto em não se deslocar. Desisti de voltar a dormir, não conseguiria. Levantei, fui até a sala, abri a porta de correr que dá para a sacada e olhei para o céu. Nada. Então, olhei para baixo e ali estava o helicóptero, estacionado num terreno descampado, ali diante dos meus olhos o helicóptero que não era helicóptero, e sim um equipamento de construção civil ligado na velocidade máxima, um trambolho que fazia um barulho idêntico ao de um helicóptero, e que continuaria a me servir de despertador nas manhãs seguintes. Se você é morador de uma grande cidade, também deve ter um helicóptero matinal entrando pelos ouvidos, ou uma bateria de escola de samba, ou uma turbina de avião, ou qualquer coisa excessivamente barulhenta que seja oriunda do que se chama obra. Metrópoles estão em constante construção. Aqui onde moro há essa obra bem em frente ao meu prédio, e outra bem ao lado, e duas logo atrás. Silêncio? Estamos em falta. Não há como reclamar para o bispo. Obras são efeitos colaterais do progresso. E o barulho faz parte do pacote, não se ergue um edifício aos sussurros. Então, como tenho escritório em casa, trabalho o dia inteiro com essa trilha sonora pouco romântica. Desde a manhã até o final da tarde, escrevo, escrevo, escrevo, e não ouço o toque dos meus dedos sobre o teclado, ele é abafado pelos motores de equipamentos pesados, caminhões despejando cimento, batidas de estacas, uma orquestra em permanente ensaio, e só resta adaptar-me, um dia o edifício onde moro também foi um esqueleto que não foi posto em pé quietinho. Sou uma escritora de apartamento, digo com o mesmo tom pejorativo que classificamos crianças de apartamento. Deveríamos estar cercados por jardins, margens de rio, praias abertas, mas vivemos confinados entre quatro paredes que de certa forma aleijam a inspiração. Escrever, lógico, me oferece várias oportunidades de fuga. Estou onde estou, fisicamente, mas também não estou: invento meu próprio lago, pátio, horizonte. Até que volto a ser atingida pela consciência do inevitável: não é o barulho do mar que escuto, nem o das folhas caindo nesse final de outono, e sim o de betoneiras, perfuratrizes, compactadores, rolos compressores. De poético, me restou apenas a chuva. Quando chove, a obra para. Quando chove, o helicóptero some. Quando chove, o silêncio me pisca o olho: "Aproveita a trégua e me escuta". Martha Medeiros nasceu no dia 20 de agosto de 1961. É jornalista, escritora, aforista e poetisa. Os textos dela já apareceram muitas vezes aqui no blog e vão continuar, porque ela escreve de uma maneira só dela e que me faz querer ler e ler. Esse texto foi tirado do livro lançado em 2013, A Graça Da Coisa.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Covers da Ariel Mançanares

O The Voice Brasil, trouxe a oportunidade de conhecer vários cantores excelentes. Uma voz que me conquistou, mesmo não ficando em nenhum "time" foi a da fofa Ariel Mançanares, ela tem um timbre doce e as músicas encaixam na voz dela naturalmente. Assisti a apresentação dela no The voice e, no dia seguinte já estava inscrita no canal dela do YouTube (clique aqui para se inscrever também). Separei alguns vídeos dela pra vocês conhecerem:








O que vocês acharam??

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Roube o Look: Isabella Scherer

Adoro todas as blogueiras da Capricho, e acompanho diariamente os blogs. Resolvi fazer uma série de posts aqui no blog numa tag que já existe para homenagear essas garotas que tanto nos inspiram. Vai funcionar assim: cada semana vou postar o Roube o Look de uma das blogueiras. Vou começar pela Isabella Scherer dona do The Blonde Cherry. Ela é uma garota de 17 anos, assim como eu. Os looks que ela posta no blog são lindos sem precisar ser muito elaborados, ela mistura peças vintage com peças atuais que dá um verdadeiro charme as composições. Vocês devem conhecê-la também da Web série da Capricho It Girls, então vamos ver um pouco do estilo dessa atriz e blogueira talentosa:



O que vocês acharam do estilo da Isa?

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Um Romance em Oxford, parte 1

Estava no campus perfeito da faculdade dos sonhos, que depois de muita luta e dias dormindo com livros consegui passar. Estava onde sempre sonhei estar, mas não conhecia ninguém e, um segredinho: os ingleses que me cercavam pareciam e eram esnobes. No auge dos meus 21 anos não estava acostumada com pessoas me destratando, afinal eu sou filha única e sempre fui tratada muito bem.
- Droga! - falou um cara que esbarrou na mochila com estampa de poás que eu estava arrastando pelo gramado. - Sorry. - nem me olhou direito - essas gringas pensam que são donas do campus.
 - Eu não penso que sou dona de nada - entrei no caminho dele. - Só estou um pouco perdida, e eu não sou gringa porcaria nenhuma.
 - É, você não é gringa, só que é branquela, e é folgada, agora saí da minha frente.
 - Tá. - falei indignada, mas fiquei andando atrás dele. Depois de alguns minutos ele se virou e me encarou de uma forma meio zangada mas sorriu.
 - Me perdoa, só que eu tô meio pilhado com o começo do semestre, as coisas aqui em Oxford não são fáceis. - estendeu a mão - sou Bruno.
- Marina, mas pode me chamar de Branquela. Trocamos um sorriso rápido, ele era alto, com ombros largos, e o cabelo preto caia sobre os olhos da mesma cor. - Então, Branquela...
 - Não! - interrompi. - Era só uma brincadeira, não me chame assim.
 - Então, Mari Branquela - me rendi sorrindo. - Vou te mostrar meus lugares favoritos da cidade e do campus. É melhor colocar a mochila nas costas antes que alguém de mal humor esbarre nela.

Continua...



segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Ed Sheeran - Give Me Love

Postei falando sobre música ontem , mas não resisti essa música é tão mais tão linda que quando escuto fecho os olhos e viajo na letra. É do Ed Sheeran o ruivinho da voz rouca, ele tem 22, e é britânico, aí vai a música:



O que acharam? (aposto que alguns de vocês já escutaram)

domingo, 5 de janeiro de 2014

Christina Perri - I Belive

Quando ouvi essa música da Christina Perri pela primeira vez foi amor à primeira nota (isso existe?), achei tão linda, tão real, tão eu (não me critiquem, quem sabe depois de ouvir vocês também não usem tão três vezes em uma única frase?), aí vai:


Linda!

sábado, 4 de janeiro de 2014

Meus Filmes: Cazuza - O Tempo Não Para

Um dos filmes mais lindos que já assisti. Conta a história do Cazuza de uma forma divertida, rodeada de amigos e com muitos exageros. Mas mostra a relação com a mãe que é tão linda me emocionou em muitas partes. Se você conhece as músicas do poeta é impossível assistir sem cantar, e pra que não conhece vai ter vontade de ouvir mais e mais. O Daniel Oliveira está de parabéns pela atuação. Quem querer assistir e estiver com tempo é só dá o play:




É isso!

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Minha Playlist: Primeira do Ano!

Espero quer seja a primeira de muitas, o ano passado postava músicas sempre, mas a tag com mais músicas não aparecia muito. Vamos aproveitar o primeiro fim de semana do ano ouvindo essas músicas lindas:
















quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Felizes para Sempre?

Me acostumei com finais felizes, filmes ou livros que acabam de uma maneira triste na maior parte acabo achando uma droga. Algumas amigas minhas também são assim - se não todas. - Mas a culpa não é nossa, não que a culpa seja de alguém, só que ficamos acomodados com o "Felizes para Sempre", que não sabemos levar em conta o "Normais para Sempre". Claro que uma relação normal normalmente é uma relação feliz, mas na normalidade as coisas vão além da perfeição, exitem brigas e até separações. Por isso que é bom querer ser feliz sem idealizar uma grande história de amor - não, podemos sim ter uma grande história, só que com os pés no chão e a cabeça leve. Afinal, Romeu e Julieta tiveram o romance mais lindo de todos os tempos com um final não tão feliz.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Para: 2014

Querido, 2014. Não sei o que pedir, não tenho muitos planos, mas sei que esse vai ser o ano da minha maioridade e, o ano que vou terminar o ensino médio. Falei que não sabia o que pedir mas agora já sei, desejo amor e felicidade, e desejo que as pessoas também desejem amor e felicidade. Quero que as meninas que se sintam como eu me sentia na época que fiz o blog, encontrem o blog e se identifiquem. Que eu tenha inspiração para continuar escrevendo não só esse ano mas sempre. Construir novas amizades sem deixar as antigas de lado. E como uma frase que vi um dia desses: Coloque o mundo no mudo e escute seu coração.