domingo, 7 de setembro de 2014

Sempre Tem Uma Garota, Parte 6

Depois de ouvir meia hora de sermão da minha mãe dizendo que se fosse pra mim levar namorada em casa era melhor que ficássemos no quarto e que ela não fugisse de apresentações. Fui obrigado a ir com ela na casa de uma amiga dela que estava doente.
A casa não era muito longe, minha mãe tocou a campainha duas vezes, e ninguém abriu, fiquei pensando em como Luisa tinha fugido e como nós tínhamos química e ao mesmo tempo não tínhamos nada.
A porta foi aberta e eu dei de cara com a ruivinha que me deu mole na festa, aquela com o nome de Melissa ou Melina.
- Oi Mel - disse minha mãe já entrando.
Continuei na porta olhando para ela. Ela pareceu se divertir com a minha confusão.

Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário