quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Conto de Natal

Precisei de apenas um minuto para me situar, era véspera de natal e eu estava na porta da casa do Ricardo com uma caixa na mão direita e o dedo indicador direito apertando a campainha. Deve ter sido o soar da campainha que me despertou, mas eu não deveria estar ali, deveria estar com a minha família em uma linda ceia, mas os meus pensamentos como todo o meu corpo tinha voado de encontro a Ricardo.
 Vi uma luz inundar a fresta da porta, então ela foi aberta.
 Ele estava usando um pijama um tanto ridículo e estava com a maior cara de sono.
 Me olhou dos pés a cabeça. Eu usava um vestido vermelho apertado na cintura e que formava um A - maiúsculo mesmo - no quadril e que ia até o meio das coxas.
 - Trouxe um presente - falei.
 Mesmo com aquele pijama, ele era o cara mais lindo que eu já tinha visto na vida, cabelos cacheado - sempre bagunçados -, olhos castanhos grandes, e um físico de tirar o fôlego.
 - Entre - disse ele com o olhar fixo nas minhas pernas.
 Entrei.
 A sala estava desarrumada e o sofá tinha um cobertor.
 - Por que você tá sozinho?
 - Tava te esperando, na verdade tava sonhando com você.
 Senti meu rosto ficar vermelho, quando passei perto do espelho grande vi que meu rosto estava quase tão vermelho quanto o meu vestido.
 - Sonho bom?
 Ele me lançou um sorriso e apontou para cima. Fui para a laje e fiquei o esperando, o lugar não tinha nada, a não ser uma bela vista para as estrelas.
 - Não acredito que você deixou sua família para vim me desejar feliz natal - me assustei quando ele chegou de mansinho com um tapete e uma garrafa de chapanhe.
Estendeu o tapete e nos sentamos lado a lado.
 - Não tinha outro lugar que eu queria estar.
 - Sonhei que estávamos aqui e que mesmo eu sendo assim como eu sou, você me queria tanto quanto eu te quero.
 O beijei para que ele se calasse.
 - Deixa de ser bobo, eu te quero.
 Não era ano novo, mas os fogos de artifício iluminaram o céu.
- Feliz Natal - falamos juntos.
E nos beijamos intensamente.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Mais Sozinha Que...

Pode dizer que é frescura ou que eu sou fraca, mas ficar sozinha trabalha muito o meu lado depressivo. As vezes brinco que estou mais sozinha que Caetano Veloso, por causa daquela música que ele interpreta e eu tanto amo, mas tenho quase certeza que ele não é muito sozinho assim.
Já falei de música e artista que gosto, mas acaba que é só para desviar do que eu dizia antes. É o tal do negócio de ficar sozinha e ficar triste por ficar sozinha, alguém que esteja lendo isto pode até pensar que é a coisa mais normal do mundo ficar triste quando se está só. Porém eu não achava isso até algum tempo, sério, adorava ficar sozinha e curtir meus textos incríveis que o silêncio me proporcionava. Aí de um tempo pra cá nem textos nem nada. Sei lá porque eu tô falando isso, talvez seja uma explicação para o meu sumiço daqui do blog, mas também é porque gosto te contar para vocês algumas coisas sem ter que encarar o olhar de: "você só pode ser louca", por isso que adoro tanto ter este blog.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Minhas Frases: John Green

John Green é com certeza o autor mais querido do público jovem, e é um dos meus autores favoritos, nem tenho o que dizer, tipo, sou viciada no canal do YouTube que ele mantém com o irmão - Hank. Adoro tanto, que fiquei chocada ao perceber que ainda não tinhas as frases dele aqui no blog, então vou corrigir isso agora. As frases são trechos de livros e declarações dele. 

 "Aparentemente, o mundo não é uma fábrica de realização de desejos." 

 "Talvez haja alguma coisa que você tem medo de dizer, ou alguém que você tem medo de amar, ou algum lugar que você tem medo de ir. Vai doer. Vai doer porque é importante." 

 "Estamos todos condenados ao fim."


 "Os verdadeiros heróis, no fim das contas, não são as pessoas que realizam certas coisas; os verdadeiros heróis são as que reparam nas coisas."

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Não Sei Organizar Meus Pensamentos

Não era para as coisas tomarem esta proporção, mas quando se espera nada quem vai imaginar que ache alguma coisa. Ultimamente meus textos estão tão mais nostálgicos? Acho que não era esta palavra, mas na falta das coisas certas colocamos as duvidosas, estou chata, chata pra caramba, tô nem aí, porque quando as coisas estão chatas as pessoas também ficam.Não poderia ser outra pessoa, poderia? Fico pensando nessas coisas o tempo todo, e se eu não fosse eu? Quem eu seria? Tá, já coloquei na caixinha branca um monte de palavras sem sentido, acho que agora posso colocar um ponto no final nestas palavras, espero que um dia ache a palavra certa para descrever o que eu estou sentindo.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Músicas Que Acalma e Faz Pensar

Aí o ano está chegando ao fim, e você - pelo menos eu - começa a pensar em tudo que rolou, nos estresses básicos do dia a dia, nas coisas inusitadas que aconteceram, até para pra pensar Caramba eu imaginei que nunca faria isto, mas fez, o legal de tudo estar acabando é que na verdade não acaba, só começa a mesma coisa com sonhos e ideias diferentes. No meu caso é o meu último ano do ensino médio, então quer dizer que quando o sábado chegar eu não serei mais uma garota colegial, e sim, uma adulta (oi?) com várias responsabilidades. Mas não vou deixar de ouvir músicas legais que me façam bem, mesmo que elas pareçam mais com a Jéssica colegial e não com a Jéssica adulta.



segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Dia Mundial De Luta Contra a Aids

Então, hoje é o primeiro dia de dezembro, neste dia é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, é um tema que eu sempre falo aqui no blog, porque o Brasil é um dos países que estão no topo da prevenção do HIV. Mesmo assim ainda há muito preconceito, mas é uma realidade que todos estamos sujeitos. Até os grandes artistas. Como de costume estou escrevendo usando o meu lacinho vermelho.